Destaques

Bauer fortalecido e o PMDB na berlinda!

Muito interessante, para pelo menos duas figuras, o resultado da convenção nacional do PSDB. Geraldo Alckmin, conduzido à presidência nacional do partido como solução de consenso para evitar o racha, impõe-se como o nome do tucanato para a disputa presidencial do ano que se avizinha. Entre os vice-presidentes eleitos, destaque para o senador Paulo Bauer, líder da bancada e agora na cúpula nacional da sigla. Mais uma vitrine para o catarinense, que, da mesma maneira, vai se impondo como nome natural do PSDB com vistas ao pleito estadual de 2018, embora haja uma ala do partido que defenda o nome do prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes.

Enquanto os tucanos se fortalecem aqui no Estado, o PMDB pode perder quadros importantes. E pelas mãos do presidenciável Jair Bolsonaro, que, até bem pouco tempo atrás, não era levado a sério pelos políticos e empresários brasileiros. O cenário mudou e tudo indica que Bolsonaro veio para ficar, viabilizando-se como opção eleitoral de direita no espectro político.

Onda

As intenções de votos na direção do deputado federal fluminense, que vai para o Patriotas na janela de março, são muito boas em todos os Estados. Neste contexto, o  que chama atenção, também, são aqueles parlamentares que estão indo a reboque de Bolsonaro. Vislumbrando, quem sabe, uma onda parecida com a de Fernando Collor de Mello em 1989.

Peninha e Colatto

Em Santa Catarina, dois peemedebistas de proa estão avaliando seriamente se tentarão surfar a onda Bolsonaro: Rogério Peninha Mendonça e Valdir Colatto, ambos deputados federais, o que pode enfraquecer o projeto do PMDB, que faz pouco tempo perdeu o deputado estadual Antônio Aguiar. É bom prestar atenção nos movimentos no entorno de Bolsonaro.

Estranho

Algo de estranho está ocorrendo em relação à conduta partidária do deputado João Amin. Semana passada, ele bateu-boca publicamente com Joares Ponticelli. O prefeito de Tubarão perdeu a paciência após incursão de Amin pelo Sul. Além de “invadir” o território de outras lideranças, o deputado da Capital disse poucas e boas aos correligionários a respeito de Ponticelli, tirando o prefeito do sério. O alcaide foi para a rádio, chamou Amin de “moleque mimado” e o parlamentar respondeu. Coisa pesada.

Mais um

Poucos dias depois, no fim de semana que passou, o jovem Amin enfureceu o deputado Altair Silva, de Chapecó, que é suplente, mas está no exercício do mandato. A situação também foi parar na mídia. Silva declarou publicamente que o correligionário vai “ouvir poucas e boas” esta semana. Segundo ele, Amin estaria tentando minar sua reeleição e falando cobras e lagartos dele a pepistas oestinos; além de defender que suplente não teria direito às emendas do Orçamento Impositivo. O representante do Oeste prometeu um momento cara a cara com Amin entre esta terça e a próxima quinta-feira, em Florianópolis.

Dúvida

A questão agora é saber o porquê João Amin está comprando briga de Sul a Oeste com outros líderes do PP. Seria uma postura meramente pessoal, com vistas à sua reeleição; ou a linha agressiva do parlamentar teria também as digitais do pai dele, o deputado federal Esperidião Amin? A conferir!