Coluna do dia

Clima de véspera

Depois de classificar a divulgação dos vídeos da delação do doleiro e bandido da pior espécie, Lúcio Funaro, de criminosa, no sábado, o advogado de Michel Temer, Eduardo Carnelós, recuou e chegou a pedir desculpas ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. O demista reagiu com veemência ao texto do causídico, dizendo-se perplexo. Isso, porque, os tais vídeos estão disponíveis no site da Câmara dos Deputados (o que, convenhamos, não é comum tampouco institucional).

No domingo, Carnelós soltou nova nota. Tentou se desculpar com Maia, afirmando desconhecer a publicidade dos vídeos na página da Câmara dos Deputados. O detalhe, mais curioso ainda, pra dizer o mínimo, é o que o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, também já se manifestou e disse que o material da delação de Funaro não deveria ter sido divulgado! Aí entram várias perguntas: como o material foi parar no site da Câmara? Trata-se de material institucional, já que esta é a função do site? Quem publicou? Com qual objetivo? Se o ministro não retirou o sigilo dos vídeos de Funaro, quem publicou o material em uma página pública cometeu crime? A versão oficial de momento indica que o material foi para o site porque faz parte da denúncia que envolve o presidente.

 

Azedume

O fato é que está aberta nova crise, desta vez envolvendo personagem-chave na frágil política atual do país, Rodrigo Maia, e o presidente e seus aliados. Justamente na semana em que os deputados devem votar, na CCJ (nesta terça-feira), pela continuidade ou não da segunda denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer.

 

Reações

Fortes emoções depois do feriadão. Principalmente para verificar como reagirão os deputados no vácuo deste novo imbróglio, como reagirá o grupo parlamentar ligado a Maia, mas, sobretudo, como vai ficar a relação entre Maia e Temer!

 

Sangue novo

Aos 40 anos de idade, o radiologista Ademar de Oliveira Paes Junior assume a presidência da Associação Catarinense de Medicina na próxima sexta-feira (dia 20 de outubro), em solenidade que comemora a passagem do Dia do Médico em Santa Catarina. Ex-diretor Científico e ex-diretor de Publicações Científicas nas últimas gestões da ACM, o médico já acumulou conhecimento e experiência para estar à frente da entidade que completa 80 anos de atividades em 2017, congregando profissionais das mais diversas áreas de atuação e regiões do estado.

 

Dia do Professor

Rodrigo Minotto registrou, na Assembleia Legislativa,a passagem do Dia do Professor, celebrado em 15 de outubro. O parlamentar pedetista (lembrando um pouco uma das históricas bandeiras de Leonel Brizola) anunciou que iniciará uma série de visitas às escolas catarinenses.

 

Frase

“Vamos para a escola ouvir professoras e professores, buscando informação direta, para sermos a voz dos professores junto ao governo do estado.” Rodrigo Minotto, deputado estadual, que pretende fazer um raio-x do ensino no Estado.

 

Denúncias da semana

As atenções dos congressistas nessa semana não estarão, pra variar, voltadas à fiscalizar o poder Executivo e nem legislar. Suas “Excelências” vão se debruçar sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral). Isso na Câmara. No Senado, a pauta também é policial. Os senadores talvez possam decidir o futuro de Aécio Neves, que teve o mandato suspenso pelo STF, além da obrigação de ficar em casa à noite.