Notícias

Fecomércio SC atua em favor dos recursos do Sistema S em Brasília

O presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, esteve no dia 12 no gabinete do Senador Dário Berger (PMDB) em Brasília, acompanhado do presidente da Fiesc, Glauco José Côrte e da Fetrancesc, Ari Rabaiolli. O parlamentar catarinense preside a Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO), do Congresso Nacional.

Durante a agenda, Breithaupt solicitou a  rejeição das emendas ao orçamento, propostas pelo Senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), que transformam o recurso do sistema S em recurso público à disposição do governo. O pleito foi realizado em conjunto com a FIESC e FETRANCESC que ao lado da Fecomércio SC, expressaram preocupação com as emendas propostas que prejudicariam o trabalho do Sistema S em todo o Brasil.

Breithaupt destacou que em Santa Catarina, por exemplo, o Sesc trabalha intensivamente na educação, ofertando ensino na educação básica para mais de 7.500 alunos matriculados em 2017. Dos 295 municípios catarinenses, 215 foram atendidos com ações e educação em saúde e esportes no ano passado, além do mais de 11 mil atendimentos odontológicos realizados mensalmente. No Senac, das 56 mil matrículas, oito mil foram por meio de gratuidade, nos 28 postos de atendimento pelo estado em 2016.

Os presidentes da Fiesc e da Fetrancesc registraram o trabalho das instituições vinculadas ao Sistema S da indústria e do transporte, deixando claro ao Senador que essas estruturas são fundamentais trabalhando em parceria com o Estado em todas as suas esferas, e muitas vezes, cobrindo a ausência da ação estatal na qualificação profissional, saúde, educação, cultura e lazer aos catarinenses.

Em conversa com as entidades, Berger reconheceu a qualidade e importância da atuação do Sistema S em Santa Catarina, ressaltando o debate recorrente no Congresso sobre a incorporação dos recursos do Sistema S ao orçamento da União.
 

Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO                                              

No mesmo dia do encontro (12), a Comissão aprovou por unanimidade o relatório final do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias, que estabelece a meta orçamentária do governo para o próximo ano.

O Teto aprovado deixa a base governista em alerta, segundo o deputado Marcus Pestana (PSDB – MG), o valor aprovado não atende as despesas obrigatórias do governo em 2018.

Também em votação, foram rejeitados os destaques e emendas contra o Sistema S, com efusiva defesa pela Deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), única representante da bancada catarinense na CMO, além do Senador Dário Berger que preside a Comissão Mista de Orçamento do Congresso.