NotíciasÚltimas

Fome aumenta e investir no agricultor é a solução

Da Tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Natalino Lázare, presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural, fez um alerta sobre a gravidade da questão da fome no Brasil, que volta a preocupar. O país, embora ainda ostente índices “aceitáveis”, pode voltar ao mapa da fome, segundo o mais recente relatório da FAO, o braço das Nações Unidas para combate à desnutrição e falta de alimentos mundo afora.

O sinal amarelo acendeu depois que o número de famintos voltou a subir após 15 anos de avanços. Atualmente, de acordo com a entidade, há cerca de 815 milhões subnutridas no planeta. No Brasil, a FAO estima-se que 2,5% da população, ou 5,2 milhões de pessoas, estejam em situação de vulnerabilidade alimentar.

O sinal amarelo já acendeu novamente em relação ao Brasil, alerta Natalino
O sinal amarelo já acendeu novamente em relação ao Brasil, alerta Natalino

Para Natalino Lázare, que conhece a fundo a realidade dos produtores de alimento em Santa Catarina, o caminho para realmente combater esta trágica realidade é mais investimentos do poder público no agricultor.

“É muito triste saber que ainda tantas pessoas não têm alimentos suficientes para viver  com o mínimo de dignidade. Felizmente, em Santa Catarina essa realidade é menos agressiva. E justamente no Estado onde o agronegócio é o carro-chefe da economia,” assinala o parlamentar, salientando que, apesar da pujança agrícola catarinense, há muito ainda a evoluir. “Via de regra, principalmente os pequenos produtores não são valorizados e apoiados como deveriam e precisariam ser,” acrescenta Natalino.

MODELO CATARINENSE

Em seu pronunciamento, o deputado ressaltou a importância do modelo catarinense com destaque para a posição estadual na produção de vários alimentos básicos. Com apenas 1,12% do território brasileiro, Santa Catarina é a sétima maior economia do país, gerando 4% do PIB (riquezas) e respondendo por 6,4% do PIB agropecuário brasileiro.

Santa Catarina é o maior produtor nacional de suínos, maçã, cebola, ostras e mexilhões; o segundo maior produtor de frango, arroz, fumo e mel; e o terceiro maior de banana e trigo. Só para citar alguns exemplos.

“Não há nenhum outro estado brasileiro que tenha esse modelo tão diversificado no agronegócio como em Santa Catarina e isso nos serve como esperança para um futuro em que nossos irmãos tenham subsídios para erradicar a fome no mundo”, afirma o deputado Natalino.

ELETRIFICAÇÃO RURAL

Pioneiro na defesa da bandeira de melhorias nas redes elétricas rurais, que são monofásicas e precisam, urgentemente, serem trocada para trifásicas, o deputado Natalino Lázare também destaca alguns números do Meio-Oeste catarinense.

A região responde por 19% do rebanho catarinense de suínos e 22%do de frangos, além de ter grande destaque para produção de uva, pêssego e maçã, milho, tomate e produção florestal.

“Mas infelizmente, as autoridades federais e estaduais ainda não estão dando a devida atenção para a questão energética. Lá na nossa região, um grupo de produtores se uniu e furou um poço no aquífero Guarani. Mas, como a energia é fraca, eles não conseguem bombear a água para uso na produção. Passou da hora dos governos implantarem uma política pública séria voltada a atender a demanda de energia de qualidade no campo,” alerta Natalino.

Clique aqui e confira a sonora do deputado Natalino Lázare

Foto: Karina Ferreira / Agência AL