Destaques

Palocci vai falar

Quase nem deu tempo para os adeptos do lulo-petismo comemorarem o que consideraram uma vitória do guru sobre o juiz Sérgio Moro no âmbito da Lava Jato. O interrogatório terminou no começo da noite de quarta-feira.

Um dia depois, vieram à tona trechos mais do que bombásticos das delações do casal de marqueteiros Monica Moura e João Santana, entregando de bandeja aquilo que todo mundo em sã consciência já intuía há muito tempo: Lula da Silva e Dilma não só tinham conhecimento de absolutamente tudo, como faziam inclusive operações no varejo, como envio de e-mails para informar os comparsas sobre os movimentos da Polícia Federal para livrá-los das garras dos investigadores. 

Na esteira desse movimento nuclear, o ex-ministro dos dois ex-presidentes, Antonio Palocci (homem-chave no esquema todo), acaba de recontratar o advogado Adriano Brettas,  que já atuou em outras colaborações em delação premiada. E dispensou o grupo de José Roberto Batochio, que defende Lula da Silva e é contrário às delações. Apertem os cintos, pois fortes emoções ainda virão! Palocci havia dispensado Brettas depois que José Dirceu conseguiu um “milagroso” habeas corpus.” Mas percebeu que não seria alcançado tão cedo pelo benefício e resolveu abrir o bico. Nos bastidores, as expectativas apontam para a possibilidade de Palocci confirmar tudo o que disse o casal de marqueteiros e também os delatores da Odebrecht, com detalhes talvez ainda mais sórdidos e impressionantes.