NotíciasÚltimas

Florianópolis sedia reunião do Codesul

O governador Raimundo Colombo recebe nesta sexta-feira, 4, em Florianópolis, representes de governos do Paraná, do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso do Sul para reunião do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) – http://www.codesul.com.br/. O encontro tem início às 10h, na Casa d’Agronômica.
Às 12h, os governadores atendem à imprensa, ainda na Casa d’Agronômica.
No encontro, Colombo assumirá a presidência do Codesul, que é anualmente revezada entre os estados membros. Para esta reunião, está prevista a presença, além do governador Colombo, do governador do Paraná, Beto Richa, atual presidente do Codesul; do governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; e da vice-governadora do Mato Grosso do Sul, Rose Modesto.
A reunião contará, ainda, com a assinatura de contrato entre o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e a Cooperativa Central Aurora Alimentos, para financiamento no valor de R$ 49,6 milhões. O valor é parte do investimento da empresa para aquisição de duas unidades de abates, sendo uma de frangos e outra de suínos, em Erechim, no Rio Grande do Sul.
Raimundo Colombo, Beto Richa (Paraná) e José Ivo Sartori. Nesta imagem, o governador do Mato Grosso do Sul, que também faz parte do Codesul, não aparece
Raimundo Colombo, Beto Richa (Paraná) e José Ivo Sartori. Nesta imagem, o governador do Mato Grosso do Sul, que também faz parte do Codesul, não aparece
Com unidades localizadas nos quatro estados do Codesul, a Aurora conta hoje com 13 cooperativas afiliadas, que congregam mais de 72 mil famílias. A cooperativa tem 15 plantas de processamento de proteína animal, duas de laticínios, seis fábricas de rações. Nas suas unidades trabalham mais de 26 mil colaboradores diretos. Outras oito mil pessoas trabalham nas cooperativas filiadas.
 
O Codesul
O conselho foi criado em 1961, por meio de um convênio entre os estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Em 1992, o Mato Grosso do Sul passou a integrar o Codesul. O objetivo é encontrar alternativas aos desequilíbrios regionais, com concentração do crescimento no centro do país. A estrutura administrativa é composta por um secretário executivo, nomeado pelo governador-presidente, e por quatro secretários assistentes, além de corpo técnico e administrativo.
Foto>divulgação