Artigos

Juro Zero: uma política pública que deu certo

Metas são fundamentais para definir os objetivos a serem alcançados por equipes e empresas. As diversas variações de escopo, critérios e diretrizes, que concedem aos projetos terem identidades únicas, tornam as estimativas de tempo um desafio constante. No setor privado, muitos projetos nem saem do papel por não serem viáveis em longo prazo. Ou são colocados em prática rápido demais, sem que tenha sido feita uma análise de viabilidade.

O setor público encontra desafios semelhantes, com o agravante que o prazo normalmente encerra com o ciclo de quatro anos. Um tempo considerado curto entre criação, aprovação e sucesso para qualquer projeto, fazendo com que muitos “morram na praia” e percam suas características. Sobre pouco espaço entre o plantio e a colheita e, entre tantas causas, esta é apenas uma para tantas políticas públicas não decolarem.

Não é o caso do programa de incentivo ao empreendedorismo criado pelo Governo de Santa Catarina. O Juro Zero foi lançado em 2011 para atender, inicialmente, 30 mil microempreendedores individuais (MEIs) catarinenses, com concessões de crédito de até R$ 3 mil, valor parcelado em oito vezes. Com o pagamento em dia das sete primeiras prestações, a última é isenta.

Quando assumimos a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS0, em 2015, o programa havia disponibilizado R$ 93 milhões em 34 mil operações. Em pouco mais de dois anos, conseguimos levar o Juro Zero a todos os municípios catarinenses e dobrar os resultados. Hoje são mais de 71 mil MEIs beneficiados, superando a marca de R$ 200 milhões em empréstimos. O sucesso é tanto que a ação já foi copiada por vários municípios e Estado pelo Brasil.

O Juro Zero superou todas as expectativas. É uma iniciativa pioneira exitosa, formulada para a área econômica com forte impacto social. Um modelo para o país de política pública de qualidade, que faz a diferença na economia do Estado, incentivando a formalização, gerando empregos e promovendo o desenvolvimento em todas as regiões catarinenses.

 

Carlos Chiodini, Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável de SC

 

Chiodini